segunda-feira, 28 de julho de 2014

Dissolução nos relevos

A pele queimando
O vento gelado
A areia pressionada
O barulho do mar
O corpo aquece
A respiração profunda
A dor
A fraqueza
A  pressão baixa
O corpo esfria
Os sons reduzem-se
O desmaio

A perda dos sentidos
A luz
A falta de controle
A dependência
O socorro
O ar gelado
O corpo agredido
A lucidez
A sensação de que existir é torturar-se
                               respirar é recompor-se
Deixe-me dormindo
Deixe-me no inconsciente
                                A realidade fere a minha humanidade
                                e eu sempre estive doente
                                        sempre como se viver não valesse o esforço
Mas a vida vale
A vida
O vale
Eu pu
          l
           o
             

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Sea I



I feel like I’m down the ocean
Deepest, silent
Where is full of weirdest types of life
Where, sometimes, you cannot find light
But where you can feel that pure energy, that heat
Down the ocean, i can’t be disrupted by other thing but I..
I can pretty much stay here
Feel a little sea flow, nothing more
Wait until tsunamis stop
Because I will be there: quiet, untouchable,
For millions of years, the ocean was the biggest refuge
I doubt if I will understand the ocean
The kindness of a whale, the delicate interactions in the reefs
All this water that flow into us
Where all had begun
Where all keeps in constant evolution
I love water
I love the ocean with its own mysteries
I hope someday the ocean sand could absorber me
My soul, my skin
And I could, with the ocean flows, discover the mystery
The life

And became completely wild

segunda-feira, 24 de março de 2014


Hi, there strangeness
I'm falling to you again
With my empty decisions and my colourful ideas
Would you try?
Following me to deepest river
Driving into an ocean mystery
Would it fill you?
What would fill us?
And make us crying over and over
And counting happiness as beats from a song
Spreading up desire and wishes
I have no guide to the way I'm going for
I could take the risk
If it fills me
But the question should be
Would it satisfies me?

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Eu quero ser sol

Foi uma manhã chuvosa
Ontem o dia inteiro foi chuvoso
Estava nublado, como você tanto não gosta
Eu tentei ver o sol por detrás das costas dela
Mas nada iluminava
Tentei lembrar do verão
Que você tanto falava
Mas nada me aquecia
E pergunto-me até quando vou lembrar dessa necessidade de sol
Até que ponto vou querer ter dois ou mais sóis para esquentar o dia
Mas sei que nesse tempo chuvoso
Nessa vida toda que esvai e que sacia
Sou um ser sem sol

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Caminho #1

Há tanta coisa a aprender
que eu não sei ser eu
Há uma ausência de refúgio
que expões meus anseios
E eu não sei
até quando essa inerência
vai me acalmar
E o momento desperdiçado
, apenas sentindo o peso do tempo,
vai organizar minhas ideias
Tantas delas sufocam
Encontram refúgio para me atormentar
Mas eu sei
, que de alguma forma torta,
o que conheço vai me guiar
a novos horizontes
Mesmo que não queria ir

terça-feira, 26 de novembro de 2013

A-JU

Fico assustado com essa solidão
Há um tempo atrás eu era um desenho seu
Hoje o relógio da cozinha me dá a impressão de ouvir seus passos
Eu tinha conversas sobre tinta e nudez
Sobre fotos e palhaços
E hoje discuto o futuro feito algum advogado
E eu mal sei das leis que me regem e que regem o mundo
Eu sei que parece um caminho esquisito
Mas é só algo sem volta
É como o desenho que entreguei
Vai embora
E nessa vida que constantemente passa
Eu queria viver como você
A você
E sentir o cheiro, os tons e os gostos do final de semana
Os rabiscos após um filme dramático qualquer
O seu abraço
Seus desenhos escondidos
E de imaginar tanto eu me prendo nesse caminho solitário
Quem sabe um barco ou avião me leve de volta ao passado

sábado, 26 de outubro de 2013

Olhar simples

Um simples rabisco da vida se transforma em sensações
Como as árvores que se vê no decorrer da estrada, quando quer se encontrar na natureza
Como o colorido do céu que admira-se quando queremos ser mais
Como as páginas de um caderno, quando enxerga-se um infinito de possibilidades para preenchê-las
E a cada gesto que nos provê direção e a cada pensamento que nos acrescenta sentido
Cria-se a teia de nossos dias e nos extende como se a alma fosse abraçar o que há de bonito e duvidosos
Não há explicação para esses pequenos afetos que cultivamos, para a observação simples de um momento
Mas há contudo o próprio gesto e momento, que existindo, nos transformam rotineiramente

"Na rotina dos dias, eu bateria em sua porta oferecendo meu abraço"