terça-feira, 26 de novembro de 2013

A-JU

Fico assustado com essa solidão
Há um tempo atrás eu era um desenho seu
Hoje o relógio da cozinha me dá a impressão de ouvir seus passos
Eu tinha conversas sobre tinta e nudez
Sobre fotos e palhaços
E hoje discuto o futuro feito algum advogado
E eu mal sei das leis que me regem e que regem o mundo
Eu sei que parece um caminho esquisito
Mas é só algo sem volta
É como o desenho que entreguei
Vai embora
E nessa vida que constantemente passa
Eu queria viver como você
A você
E sentir o cheiro, os tons e os gostos do final de semana
Os rabiscos após um filme dramático qualquer
O seu abraço
Seus desenhos escondidos
E de imaginar tanto eu me prendo nesse caminho solitário
Quem sabe um barco ou avião me leve de volta ao passado

Um comentário:

Cybelle Godinho disse...

sê saudosista não, que o futuro é hoje mais que amanhã